Canhoto: principais diferenças em relação aos destros

No dia 13 de agosto, comemoramos o dia do canhoto. Em um mundo construído para destros, o cérebro do canhoto é forçado a fazer algumas adaptações, gerando e aplicando estratégias que possam torná-lo mais hábil a nível psicomotor e cognitivo

Se você é canhoto, provavelmente já chegou em uma sala de aula onde as carteiras eram todas projetadas para destros, tentou usar a tesoura com a mão esquerda e não deu certo ou até mesmo o mouse… Pois é, algumas situações complicam a vida dos que utilizam mais a mão esquerda. Porém, nem tudo é pesadelo! Os canhotos possuem algumas vantagens em relação aos destros.

O cérebro humano é composto por duas frentes, sendo a direita e a esquerda. E, um dos hemisférios é o dominante. Porém, mais de 90% das pessoas são destras e nessas, a dominância está no hemisfério esquerdo em mais de 95% dos casos.

Já nos canhotos, a dominância do hemisfério esquerdo está em 70% das pessoas. Em metade dos canhotos restantes, a linguagem é controlada pelo hemisfério direito. A outra metade não mostra assimetria, ou seja, a linguagem é controlada pelos dois hemisférios. Os ambidestros, ou seja, os que conseguem realizar as mesmas atividades com as duas mãos, correspondem a 1% da população mundial. Porém, sabe-se que muitos canhotos adquirem, com o passar dos anos, habilidades com a mão direita pois, tendo nascido canhoto, treinam a mesma em várias situações.

Os canhotos passam por vários momentos em que o “mundo destro” é predominante. Porém, se a vida fosse uma partida de futebol, certamente o jogo terminaria empatado. Isso por que alguns estudos mostram que os canhotos são mais criativos e poderiam ter uma ligeira vantagem nos esportes, jogos e uma série de atividades que envolvam estímulos, lançamentos simultâneos ou até mesmo rápidas sucessões. Já os destros, sofrem menos com dislexia e gagueira, por exemplo.

O professor Luiz Felipe de Lima, 25, é canhoto e relatou que as maiores dificuldades apareceram no âmbito escolar, ainda muito pequeno. “Quando fui para a escola eu já era alfabetizado, então eu achava um pouco estranho ver outras crianças escrevendo, usando tesoura e objetos com a mão direita. Tive uma professora que chegou a dizer que era errado escrever com a mão esquerda. Entretanto, meus pais me explicaram que era perfeitamente normal ser canhoto, mas que haveriam algumas dificuldades, pois a maioria dos objetos, por exemplo, não são para pessoas canhotas”, afirma Luiz, que ressalta a importância da sua família nesse processo.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Laboratório de Sistemas Motores Humanos da Escola de Educação Física e Esportes da Universidade de São Paulo (EEFE/USP), ser canhoto ou destro pode ser apenas uma questão de prática, não sendo a genética tão determinante assim na definição de qual mão é a mais utilizada. Os resultados do estudo demonstram que essas preferências são provocadas pelo processo do desenvolvimento motor. No caso do professor, não há casos de canhotos em sua família, porém, mesmo sendo o único, a família se encarregou de facilitar as coisas, como manter em casa tesouras, abridores de garrafa e outros feitos especialmente para canhotos. “Com esses objetos, tudo era mais fácil em casa. As maiores dificuldades foram na escola, principalmente com as cadeiras com apoio para escrever, esse apoio era do lado direito, então eu precisava usar duas delas para poder escrever de modo confortável”, salienta Luiz. Com tantas dificuldades e também habilidades, a Revista Mais Saúde parabeniza todos os canhotos. Um feliz dia!

Fonte: https://www.maissauderevista.com.br/corpo/canhoto-principais-diferencas-em-relacao-aos-destros/

Send your Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *